WeCambio - Faça sua oferta pelo preço desejado

Dicas de onde deixar seu Pet durante as férias

Se você não vê a hora comprar suas passagens aéreas promocionais, mas quer ter certeza de que irá manter seu pet feliz enquanto curte sua viagem, confira as 5 opções que garantem a tranquilidade de seu bichinho.

Por Caio Pilato dia em Dicas

Dicas de onde deixar seu Pet durante as férias

1. Deixe seu pet à vontade em casa

É um consenso geral entre os veterinários de que animais de estimação ficam mais felizes e respondem melhor aos seus cuidadores quando são mantidos em casa, do que se fossem levados a outro ambiente totalmente diferente ao que estão acostumados.

Como estamos falando praticamente de um ente da família, geralmente os donos preferem que seus bichinhos estejam o tempo todo em casa e bem acompanhados. Nesse caso, você pode pedir a algum parente ou amigo para cuidar de seu pet.

Sem dúvida, diante de uma viagem para algum paraíso natural europeu, em que não seja possível levar seu animal de estimação, a primeira solução que vem à mente é tentar encontrar alguém de confiança que possa cuidar de seu pet em tempo integral e, se possível, que vá à sua casa e assuma o seu papel de dono.

E se essa pessoa for alguém que já tenha contato com o bichinho (como uma pessoa da família ou um amigo), melhor ainda.


2. Contrate um Pet Sitter particular

Caso não consiga achar algum conhecido ou parente que possa ficar na sua casa cuidando de seu pet, busque por grupos de pessoas que cuidam de cachorros para os donos viajarem, por exemplo.

Encontre voos em oferta, aproveite!

Nesses grupos, é possível ter acesso a um pet sitter que, muitas vezes, oferece atendimento gratuito, podendo ficar como morador da casa, enquanto o proprietário já está arrumando as malas para viajar.

Mas, atenção: independentemente se é cuidador de cachorro ou de gatos, esse profissional será responsável por manter a casa em funcionamento, garantindo a rotina do pet. Por isso, é importante ficar atento se essa pessoa é qualificada, se tem boas referências e se inspira confiança.

 


3. Busque site ou app que forneçam Pet Sitters

Uma das formas de contratar um pet sitter de forma mais tranquila e com segurança é utilizando sites e aplicativos que disponibilizam pessoas capacitadas e experientes. E o que é melhor: já selecionadas pelas respectivas plataformas:

DOGHERO 

Uma das grandes soluções para quem tem dificuldade de encontrar algum conhecido que possa hospedar seu bichinho, é o DogHero, um aplicativo bem acessível, em que os donos se cadastram e inserem informações sobre seus pets.

Feito isso, o cliente irá procurar pelos chamados anfitriões que, também inscritos no aplicativo, estão disponíveis a receber e cuidar dos pets – em suas próprias casas. O interessante é que a equipe DogHero é bem criteriosa na seleção desses anfitriões, garantindo, assim, maior confiabilidade ao serviço.

Comparada aos hotéis para cães e gatos, por exemplo, essa opção acaba saindo mais em conta, pois uma diária pode variar de R$20 a R$40, e o pagamento é feito via cartão de crédito.

Além disso, o dono pode acompanhar a rotina de seu pet por meio de vídeos e fotos que o anfitrião envia diariamente.

 

PET ANJO 

Outra opção interessante é a Pet Anjo, que também conta com pessoas criteriosamente selecionadas pelo site para ficarem com seu pet.

Trata-se de uma plataforma online, onde é possível contratar os chamados “Anjos de pets” que além de receber e cuidar dos animais em suas residências, também se disponibilizam a passear com eles.

Além disso, o “Anjo de pets” pode ficar na casa do cliente para maior conforto do bichinho de estimação. Como as ofertas dos serviços são bem diversificadas, os valores variam de R$40 a R$60.

 


4. Deixe seu pet na casa de um conhecido

Essa opção pode funcionar para quem possui cachorros, já que gatos, até mesmo por sua personalidade, acabam sendo mais independentes – muitas vezes, a visita de um cuidador ao longo da semana pode ser o suficiente.

Se você planeja deixar seu cachorro feliz hospedando-o na casa de um amigo (ou de um familiar), é interessante se certificar de que essa pessoa tenha afeição pelo animal.

Veja também se há a necessidade de atenção redobrada em relação ao local em que o dog vai ficar hospedado: se há piscina descoberta, escadarias, portão aberto ou produtos de limpeza no chão. Esses detalhes são importantes, pois evitam riscos à vida do animal.

 


5. Hospede seu amigão em um Pet Hotel

Como há no Brasil uma grande variedade de hotel para cachorros e gatos também,  é sempre interessante verificar como são as condições dos serviços oferecidos por esses estabelecimentos.

Ou seja, se a equipe é especializada e se a infraestrutura do local proporciona ao animal o conforto necessário para que ele não sinta tanta falta de seu dono.Garanta seus voos nacionais por ótimos preços!

Tudo isso pode ser feito a partir de visitas no estabelecimento e, se possível, levando seu pet junto.  É uma etapa importante, pois você verá de perto como os animais são cuidados, como os outros pets se comportam, além da higiene do local.

Também é interessante saber como são realizadas as atividades e quais os cuidados principais com a alimentação. Por fim, não deixe de perguntar se as informações sobre seu animal vão chegar até você por meio de telefone, e-mail ou webcam ao vivo.

Os preços de hotéis para animais de estimação variam muito, em razão das localizações e classificações dos estabelecimentos.

Muitos deles estão em grandes capitais, como por exemplo, os belíssimos hotéis pet friendly no Rio de Janeiro. Para se ter uma ideia, há lugares que dispõem de valores abaixo de R$15, enquanto outros, chegam a ultrapassar a diária de R$120.


Dicas para deixar seu pet feliz enquanto você viaja:

1. Certifique-se de que seu pet vai ter muito o que fazer

É importante garantir uma lista de brinquedos favoritos de seu pet, além de petiscos e objetos que possam deixar seu animal entretido.

Já em Pet Hotéis, muitos estabelecimentos já contam com alguns materiais, mas é possível conversar com a administração local para que seja permitido levar os objetos que seu bichinho já está acostumado.


2. Conte para o cuidador como é a rotina de seu pet

Uma vez tendo com quem deixar o cachorro quando viajar (seja um conhecido ou um pet sitter), a etapa seguinte é passar algumas informações sobre seu animal.

A rotina para um animal doméstico é uma das pequenas coisas que mais importa a ele; seu amiguinho sabe que assim que você acorda o café da manhã será servido no lugar de sempre, que poderá ficar à vontade em seu canto favorito do sofá, ou então, sempre que quiser, irá brincar no quintal.

O mais importante é que ele saiba que há alguém por perto, pronto para lhe dar o amor e o afeto com que está acostumado.

No caso de gatos, se o seu bichano têm o hábito de passear pela vizinhança, a dica é deixar claro ao cuidador que essa é a rotina dele e que qualquer mudança repentina pode provocar um estresse no animal.

Com relação às pessoas que criam peixes, aves, coelhos ou roedores, a sugestão é que ao procurar um cuidador, a preferência seja sempre por profissionais que, de fato, tenham familiaridade com essas espécies, pois qualquer deslize pode ser fatal.


3. Não deixe de observar alguns cuidados, antes de viajar por conta própria

Recolha qualquer parte solta de brinquedos próxima ao seu pet;

Mantenha ossos longe do animal;

Retire de perto de seu bichinho brinquedos de pelúcia – riscos de engasgamento;

Mantenha objetos fáceis de quebrar fora do alcance do animal;

Desconecte das tomadas fios de aparelhos eletrônicos – pets gostam de mastigar;

Mantenha as portas de banheiros e quartos fechadas;

Deixe a quantidade certa de ração;

Deixe em ordem o local do animal fazer xixi e cocô.

Se o seu pet faz uso de medicamentos, é necessário passar quais são os horários de administração desses remédios e verifique se o cuidador tem prática de aplicação dos mesmos.

Se seu pet for ficar na casa de algum conhecido ou anfitrião, faça a malinha, incluindo principais itens, como: pote de água e pote de ração, manta ou cobertor, bem como a quantidade suficiente de ração que o animal irá consumir, até a sua volta.


4.Evite fazer drama na hora de se despedir de seu pet

Independente se você vai deixar seu pet em casa, na residência de um amigo, pet sitter, anfitrião ou em um hotel, após passar todas as informações sobre seu bichinho, não resta mais nada, senão pegar as malas e partiu relaxar, certo?

Pois, é… Deveria ser exatamente isso, porém, a realidade é outra.

Muitos donos têm dificuldade em se despedir de seus animais de estimação. Por conta disso, acabam oferecendo-lhes excessivas palavras de conforto, afeição e carinho, acreditando que tudo ficará mais fácil, que o bichinho vai se sentir mais seguro e tranquilo, achando que seu dono logo estará de volta.

Mas, não é bem assim. Como esse tipo de comportamento acaba sendo algo incomum para um animal doméstico, ocorre aí uma confusão na cabecinha dele, trazendo-lhe ansiedade à medida que tenta entender o porquê dessa mudança de atitude por parte de seu dono.

Se você for fazer um mochilão e, deste modo, irá ficar longe de seu animal por algumas horas ou semanas, a dica é sempre manter a calma, se policiar quanto às suas ações e evitar transparecer demasiada preocupação no momento em que está a se despedir dele.

Isso vai ajudar seu pet a se sentir mais tranquilo, a deixar seu cachorro ou gato feliz, mesmo diante de uma situação em que ele ficará sem você.


5. Deixe seu perfume

Antes de viajar, coloque junto aos objetos de seu pet algumas peças de roupa com seu cheiro. Essa tática é excelente, pois seu perfume pode ajudar a tranquilizar seu bichinho, além de fazer com que ele não se sinta tão sozinho.

  • Compartilhe esse Post:
  • Facebook
  • Twitter

Deixe seu comentário aqui: